Work Master - Soluções Contábeis

Atendimento On-line Acesse

Notícias - OBRIGATORIEDADE DA ESCRITURAO CONTBIL

Data: 4/2/2013

OBRIGATORIEDADE DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL


                 No desenvolvimento dos trabalhos de fiscalização aos profissionais da contabilidade, na maioria dos casos analisados, a adoção da escrituração contábil ainda não é um hábito aplicado no dia a dia. Nas defesas apresentadas, em processo éticos disciplinares, as justificativas sobre a não existência da escrituração contábil esbarram em aspectos fiscais, tais como legislação do Imposto de Renda e SIMPLES NACIONAL.

                A Lei nº 10.406, de 10/01/2002, que instituiu o Código Civil Brasileiro, estabelece, no art. 1.179, a obrigatoriedade de o empresário e a sociedade empresária seguirem sistema de contabilidade, que se baseia em escrituração uniforme de seus livros em correspondência a documentação respectiva, levantando no ano balanço patrimonial e de resultado econômico. O mesmo Código Civil desobriga somente o pequeno empresário de manter escrituração regular, não relacionando nenhuma outra situação.

                Muitos empresários desconhecem que não possuir escrituração regular pode caracterizar crime de sonegação da contribuição previdenciária, com pena de reclusão de dois a cinco anos e multa, conforme preceitua o inciso II, do art. 337 do Código Penal.

                Também a Lei nº 11.101, de 9 de junho de 2005, exige a obrigatoriedade da escrituração contábil regular, dispondo sobre a recuperação judicial, a extrajudicial e a falência do empresário e da sociedade empresária. Em seu art. 51, inciso II e no art. 163, § 6º, inciso II, ressalta-se que a petição inicial de recuperação judicial e extrajudicial será devidamente instruída com as demonstrações contábeis relativas aos três últimos exercícios sociais e as levantadas especialmente para instrução do pedido, confeccionadas com a estrita observância da legislação societária brasileira. Outra lei que exige a escrituração regular é a Seguridade Social, que, em seu art. 32, inciso II, obriga as empresas a lançarem mensalmente em títulos próprios, de forma discriminada, os fatos geradores de todas as contribuições, os montantes descontados, as contribuições da empresa e os totais recolhidos.

                No contrato de prestação de serviços, conforme definido pala Resolução CFC nº 987/03, caso não seja delegada ao profissional a responsabilidade pela escrituração contábil de seu cliente, tal condição deverá estar explicita. O contrato, obviamente, deve detalhar os trabalhos para os quais o profissional foi contratado.

                Uma vez não observada esta condição e constatada pelo CRCMG a não elaboração da escrituração contábil, o profissional poderá ser apenado em multa de um a cindo anuidades, além da penalidade ética de advertência reservada, censura reservada ou censura pública, conforme art. 25, alínea b do Decreto-Lei nº 9.295/46, c/c art. 2º do Código de Ética e com art. 24, incisos V e VI da Resolução CFC nº 1.370/11, c/c os itens 3 a 13 da NBC ITG 2000.

Fonte: CRCMG


Acesso rápido

Confira todos os links

This essentially means that I will only present specific rolex replica types and brands to specific people knowing well that these brands or types will make them look replica watches confident and attractive. When you are looking for the right men's replica watches uk, you will by all means come across many options in the market. Each of these watches is designed with a specific demographic in mind. This means that if you see a specific breitling replica and it does not impress you, that same watch will definitely be the perfect watch for someone else. Everyone is impressed by different specifics and details. At the end of the swiss replica watches, I am keen to give each person the chance to try out the options that look impressive to them. This will help them come to the conclusion of which exact replica watches sale type they prefer.
Subir ao topo